Guardar

Guardar, do poeta carioca Antônio Cícero

Guardar uma coisa não é escondê-la ou trancá-la.
Em cofre não se guarda coisa alguma.
Em cofre perde-se a coisa à vista.
Guardar uma coisa é olhá-la, fitá-la, mirá-la por admirá-la, isto é, iluminá-la ou ser por ela iluminado.
Guardar uma coisa é vigiá-la, isto é, fazer vigília por ela, isto é, velar por ela, isto é, estar acordado por ela, isto é, estar por ela ou ser por ela.
Por isso melhor se guarda o voo de um pássaro
Do que pássaros sem voos.
Por isso se escreve, por isso se diz, por isso se publica, por isso se declara e declama um poema:
Para guardá-lo:
Para que ele, por sua vez, guarde o que guarda:
Guarde o que quer que guarda um poema:
Por isso o lance do poema:
Por guardar-se o que se quer guardar.

Guardar, quando pensamos em guardar algo, pensamos em colocar no armário, na gaveta, no cofre. No entanto, sempre que me deparo com este poema de Antônio Cícero, poeta irmão de Marina Lima, um dos poetas que mais amo ler e reler, percebo o quanto o conceito de guardar está equivocado e percebo que os versos de Antônio Cícero encontram eco na palavra de Deus. Vamos ao texto do Salmo 119.9-16 para percebermos o que quero te dizer.

Bêt
9Como pode o jovem se manter puro?
Obedecendo à tua palavra.
10De todo o meu coração te busquei;
não permitas que eu me desvie de teus mandamentos.
11Guardei tua palavra em meu coração,
para não pecar contra ti.
12Eu te louvo, ó SENHOR;
ensina-me teus decretos.
13Recitei em voz alta
todos os estatutos que nos deste.
14Alegrei-me com o caminho apontado por teus preceitos
tanto quanto com muitas riquezas.
15Meditarei em tuas ordens
e refletirei sobre teus caminhos.
16Terei prazer em teus decretos
e não me esquecerei de tua palavra.
(Nova Versão Transformadora)

O salmo 119 é o maior dos 150 salmos. Ele é um poema com vinte duas estrofes e é um acróstico do alfabeto hebraico. Cada uma das estrofes começa com uma letra do alfabeto, sequencialmente. Cada estrofe possui oito versos, e por isso ele é tão longo. Por ser tão longo, torna-se difícil uma análise mais resumida do todo. Quem nos ajuda a sintetizar é João Calvino (Calvino, João. Comentário de Salmos – Vol. 4. Série Comentários Bíblicos João Calvino. Editora Fiel. Edição do Kindle): “exortar os filhos de Deus a seguir uma vida de piedade e santidade, bem como prescrever a norma e realçar a forma do verdadeiro culto a Deus, de modo que os fiéis possam devotar-se totalmente ao estudo da lei”. Calvino percebe esta linha de síntese por conta de termos que são recorrentes no salmo, como lei, estatutos, preceitos, mandamentos, decretos, palavras, promessa. Esta lista de palavras vem sempre associadas ao uso do pronome “teu”, o que nos revela a alegria do salmista em ter acesso à revelação da vontade de Deus para o povo. O salmo 119 não se enquadra em uma categoria específica de salmo, alterna palavras de dor e tristeza com hinos de louvor e exaltação a Deus. há dois salmos que se aproximam do 119 em sua temática: o salmo 1 e o salmo 19. O salmo primeiro revela como Deus se manifesta na vida do crente, promovendo nele fidelidade a lei do Senhor e o salmo 19 louva toda a criação e revelação divina.

9Como pode o jovem se manter puro?
Obedecendo à tua palavra.
10De todo o meu coração te busquei;
não permitas que eu me desvie de teus mandamentos.

A estrofe sobre a qual meditamos hoje é a segunda do salmo, começa com a segunda letra do alfabeto, Beth, e possui oito versos que podem ser compreendidos como uma resposta à pergunta do verso inicial. O salmista apresenta seis atitudes que revelam como se manter puro diante da realidade pecadora e caída do ser humano: obedecer, guardar, recitar, alegrar, meditar e ter prazer. Esta pergunta é interpretada, muitas vezes, como um conselho aos jovens. Não, ele está usando aqui um recurso de linguagem comum a mestres sapienciais de seu tempo e que está presente nos Salmos e nos Provérbios. É como se um professor mais experiente e de mais idade estivesse conversando com um adulto mais jovem que ele. O salmista responde à pergunta, ainda no verso nove, com a primeira atitude: obedecer. Obedecer implica em aceitar, acatar e entender que o que você está fazendo é fruto de um processo de aprendizagem e crescimento pessoal. Só se aprende do que se experimenta, se tem contato. Para obedecer é preciso buscar a palavra de Deus e compreender. Por isso o verso dez revela como o salmista obedece a Deus: o buscando de todo coração

11Guardei tua palavra em meu coração,
para não pecar contra ti.
12Eu te louvo, ó SENHOR;
ensina-me teus decretos.

Guardar no coração. O que isso significa? Significa que a palavra passou a fazer parte da vida do salmista. Não há mais diferença entre o que ele pensa e deseja e o que ele é. A Palavra faz sentido na vida dele e é realidade em sua vida. Ele recorre à Palavra toda vez que é tentado, toda vez que é tomado pela desesperança ou pela tristeza. A Palavra está guardada nele e ele vive esta Palavra, não a deixa mofando na gaveta ou no armário, abra a janela da alma e faz o ar circular, deixa o Espírito entrar e refrigerar, trazendo a Palavra que dá vida. Quem guarda a palavra no coração, tem o desejo constante de abraçar esta palavra e saber mais dela, por isso o salmista louva e pede: ensina-me os teus decretos.

13Recitei em voz alta
todos os estatutos que nos deste.

Um dos processos em que se verifica o aprendizado de algo é você verbalizar o que foi passado de conteúdo para você. O ato de verbalizar a palavra de Deus faz com que você assimile melhor o seu conteúdo. Não é repetição despropositada. É você compreender que a palavra que está sendo dita e repetida é uma verdade da qual você precisa tomar ciência e passar a viver o que você aprendeu. No contexto do salmista, havia a pratica da leitura da lei pelos sacerdotes e é possível que o povo se unisse na leitura com o sacerdote, mais ou menos quando fazemos a leitura da Afirmação de Fé, como o Credo Apostólico, por exemplo.

14Alegrei-me com o caminho apontado por teus preceitos
tanto quanto com muitas riquezas.

O que o salmista expressa no verso 14 é a alegria de ter encontrado na Palavra de Deus o tesouro maior de sua vida. A busca pelo sentido da vida, pela razão pela qual você acorda todos os dias passa pela busca da alegria, da felicidade e esta busca tem seu fim quando, pela Palavra de Deus e pela ação do Espírito Santo, eu sou alcançado pela Graça de Deus e entendo que o vazio que há em mim é preenchido por Deus. A alegria com o caminho que Deus aponta vem, pois, as dificuldades não são capazes de nos desviar ou nos levar a desistir de caminhar nos caminhos do senhor.

15Meditarei em tuas ordens
e refletirei sobre teus caminhos.

Quem nos ajuda a compreender bem o conceito de meditar neste versículo é Allan Harman: “A ideia de meditação nos preceitos de Deus é bem frequente em todo este salmo … refere-se à recitação em voz alta de coisas relativas a Deus – suas obras, seus preceitos, seus prodígios, suas promessas”. Tudo o que Deus ensina faz com que o salmista guarde, obedeça, recite, se alegre e medite em tudo isto. Ele vai refletir sobres os caminhos de Deus, vai assimilar este conhecimento para dele falar com propriedade e maturidade. Tudo isto traz prazer ao salmista. 

16Terei prazer em teus decretos
e não me esquecerei de tua palavra.

Os decretos de Deus não são um fardo a ser carregado. À luz dos evangelhos, o nosso fardo é pesado, o de Cristo é leve e suave. Assim, devemos nós deixarmos o nosso fardo pesado para termos o verdadeiro prazer que é caminhar nos caminhos do Senhor. Ao encerrar esta estrofe, o salmista assume um compromisso que é fruto do prazer que ele tem na lei de Deus: e não me esquecerei de tua palavra. Tudo o que nos dá prazer fica gravado em nossa memória. Se eu pedisse para um de vocês me dizer algo em que sente prazer, rapidamente viriam uma lista de coisas no pensamento.

O salmo 119 é um convite para nos aproximarmos da Palavra de Deus e compreendermos a sua riqueza e seu valor para nós. É mais valioso que qualquer tesouro. É o bem mais precioso que temos e que podemos oferecer como herança para nossos filhos e netos. Compreender esta palavra passa por guardar em nossos corações tudo o que é dito nela. É um processo lento de mudança de mente e coração para que nossas atitudes sejam transformadas. É difícil, mas não é um processo solitário. O Espírito Santo está com você, nós, como igreja, estamos com você. Caminhamos juntos cumprindo o que Deus deseja de nós.

Obedecer, guardar, recitar, alegrar, meditar e ter prazer. Seis atitudes que devemos ter diante da Palavra de deus. Dentre estas seis, considero que guardar seja a primordial. Somente quando guardamos em nós a Palavra temos conhecimento para obedecer, recitar, nos alegrarmos nela, meditarmos nela e termos prazer nela. Por isso, o meu desafio para você é que você guarde a Palavra de Deus. Evoco aqui, mais uma vez, os versos de Antônio Cícero:

Por isso melhor se guarda o voo de um pássaro
Do que pássaros sem voos

e tomo a liberdade, e a audácia, de os parafrasear:

Por isso melhor se guarda a atitude do cristão
Do que um cristão sem atitude

Guarde no coração a Palavra para ser por ela iluminada.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.