Poesia

Admiro calado

Admiro calado
uma beleza singular.

Branca, macia,
revela-se em parte
e me fascina por completo.

Ah, suas costas!
Quem me dera meus lábios,
serenamente, pudessem beijá-la.
Quem me dera minhas mãos,
suavemente, pudessem acariciá-las.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.