Conto

A espera eterna

Eram sete horas da noite de um outono maravilhoso em São Paulo. Sua idade avançada não a impedia de cumprir seu ritual diário de buscar um velho caderno amassado e gasto pelo tempo. Um presente de um amigo.

Faz tanto tempo…você ainda lembra de mim?

Não resistiu à saudade. Estava viúva há uma semana. Ligou seu computador e buscou pelo nome do autor daqueles textos. Não procurava por aquele nome na internet faziam mais de cinco anos, desde que seu marido adoecera. Não foi preciso muito tempo para romper em lágrimas.

Morto, há três anos.

A nota, encontrada num site de notícias sobre literatura, relatava o motivo da morte e o local onde haviam sido depositadas suas cinzas.

Ele sempre disse que queria ser cremado.

Pensou enquanto se recompunha. Voltou à leitura de seu caderno em meio a lágrimas e soluços. Adormeceu no sofá.

No dia seguinte, às sete da manhã, liga para a nora.

Preciso que me leve num lugar, não comente nada com meu filho.

Pontualmente as dez, a nora e as duas netas estão na porta de sua casa. Vestida de luto, ela pede:

Cemitério dos protestantes, na Consolação.

Durante quarenta minutos ouviu suas netas conversarem sobre meninos, colégio e música. Não abriu a boca. Já próximo ao cemitério, pediu que parassem em uma floricultura. Enquanto foi comprar um arranjo de tulipas, suas netas perguntaram

Quem morreu, vó?

Ela permaneceu em silêncio.

Chegaram ao cemitério.

Esperem aqui.

Lentamente andou por entre os túmulos. Cerca de vinte minutos depois encontrou uma inscrição em uma placa de bronze:

Aqui jaz.
Morreu esperando por seu amor.
Morreu amando uma única mulher.
Morreu amando sua eterna inspiração.
Morreu amando sua moça.

Caiu de joelhos e chorou. Reviveu ali, por um instante, aquele amor. Ela o reencontrou, mas a espera foi eterna.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.