Artigos

Melhorando nossos relacionamentos

Relacionamentos estão repletos de maravilha e de dor. Essa ambiguidade dos relacionamentos é natural dos mesmos. Relações podem ser tanto o exemplo de como é bom e agradável, tanto quanto de como é dolorido e sacrificante.

Em seu ministério, Jesus viveu intensamente a ambiguidade de sentimentos que há nas relações. Ao se assentar à mesa para comer, ao conversar e ensinar, Jesus vivia o bom e o agradável. Ao encarar a morte, a doença, o desprezo, Jesus via o dolorido e sacrificante. Assim, ao dar a resposta do que é o mais importante mandamento, Jesus responde:

Jesus respondeu: “O mandamento mais importante é este: ‘Ouça, ó Israel! O Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. Ame o Senhor, seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma, de toda a sua mente e de todas as suas forças’. O segundo é igualmente importante: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’. Nenhum outro mandamento é maior que esses”. (Marcos 12.29-31)

Amar é o mandamento principal pois ele é a base de toda a relação de Deus conosco e deve ser a base da nossa relação um com o outro.

Deus, ao nos criar, o fez para se relacionar conosco. Prova disso está no livro do Gênesis, quando os primeiros homens erram, Deus não aparece do nada, ele vem caminhando pelo jardim e pergunta a eles onde estão e o que aconteceu, o que prova que Deus respeita e se põe diante do ser humano para se relacionar com ele, e não se impor sobre ele. Ao enviar Jesus, Deus não o faz como uma imposição aos homens:

Porque Deus amou tanto o mundo que deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Deus enviou seu Filho ao mundo não para condenar o mundo, mas para salvá-lo por meio dele. (João 3.16-17)

Portanto, dê importância aos seus relacionamentos, principalmente as relações dentro de casa, com aqueles a quem Deus confiou a você e que costumeiramente chamamos de família. É na nossa família que somos chamados a viver nossos relacionamentos nos moldes do relacionamento de Deus comigo e com você. Ele é o modelo a ser seguido. Pergunte-se, diariamente, se o que você está fazendo em sua rotina é mesmo importante ou não. O que realmente importa é como você se relaciona com as pessoas, o resto, é resto. Priorize sua relação com Deus e com o próximo, pois é nestas relações que vivemos o amor de Deus.

Reverendo Giovanni Alecrim
Pastor da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s