Poesia

Gigantes e mortos

Quero chorar e as lágrimas não saem.
Quero gritar e a voz não sai.
Quero me expressar, o corpo não responde.

Da luz para as trevas existe uma ponte a atravessar,
o rio é sujo e as pessoas não me ouvem.
Posso correr, não posso andar.
Quero morrer, não quero viver.

Meu coração já não me responde.
Meus pensamentos já não me obedecem.
O que é que eu vou fazer? A noite é tão bela!
O que é que eu vou fazer? Os dias são longos…

Os gigantes já chegaram e atiram bombas nos nossos jardins.
Os gigantes não tem coração nem piedade do meu choro.
E eu que queria um jardim florido com tulipas e margaridas,
hoje tenho que cavar minha cova na terra onde plantei meus sonhos.

Não quero mais viver, não quero mais lutar.
A vida chegou ao fim. Fechem a cortina.
Voltem para suas casas
e esqueçam que eu passei por aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.