Artigos

Confissão comunitária

Tem sido cada vez mais frequente cultos suprimirem elementos e momentos da liturgia Reformada e adaptado ao que chamam de nova realidade. Um destes momentos que tem sido suprimido é a confissão. Preocupa-me tal supressão por um simples motivo, apontado pelo Diretório de Culto da IPI do Brasil:

Diante do Deus santíssimo e percebendo sua indignidade e pecado, o ser humano se aproxima humildemente, mas confiante no perdão e misericórdia divinos, demonstrando seu arrependimento. É o momento da confissão de pecados, que evoca a experiência do batismo e a promessa de perdão. (Diretório para o Culto, Manual do Culto da IPI do brasil, página 408, Pendão Real)

A confissão de pecados no culto possuí, ao meu ver, duas funções didáticas e espirituais fortes. Vamos a elas.

A confissão como reconhecimento de que todos somos pecadores

A primeira função didática é o reconhecimento pessoal e comunitário de que todos somos pecadores. Todos estão no culto para adorar a Deus e reconhecem, diante de sua majestade e glória, que carecem do perdão de Deus. Assim sendo, no momento de confissão, quando se ora silenciosamente, o crente está confessando seus pecados e o faz em ambiente de culto como demonstração de sua união fraternal com todos os outros pecadores ao se redor. A igreja, silenciosamente, confessa seus pecados.

O primeiro passo para se corrigir um erro cometido é reconhecer que errou. Quando somos postos diante de Deus, nosso pecado é exposto. Como mudar? Como ser diferente? É preciso confessar, reconhecer o erro e dar os passos para mudar de atitude. Não são processos fáceis. Em um tempo onde ter a razão é quase que uma obrigatoriedade, você assumir que errou e mudar de atitude é uma afronta à razão vigente.

Ao término do momento de confissão, a liturgia Reformada acrescenta um momento de declaração de perdão e saudação da paz. Na declaração de perdão ouvimos a verdade de que Deus não faz pouco caso de nossa confissão e nos perdoa por meio de Cristo Jesus. Uma vez que somos perdoados por Deus, não há motivos para permanecermos separados de nossos irmãos, então, temos na saudação da paz a oportunidade de procurar nosso irmão e nos reconciliarmos com ele, cumprindo o que determina Tiago 5.16:

Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados.  Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo. (Tiago 5.16).

A confissão como testemunho de vida transformada

A confissão de nossos pecados nos dá a oportunidade de testemunhar a respeito do que Deus fez em nossas vidas. Mais uma vez, em um tempo onde ter a razão é quase que uma obrigatoriedade, temos a oportunidade de mostrar que mudar de opinião e de atitude é reflexo do que Deus tem feito em nossas vidas. Você, antes de reconhecer seu erro, era de um jeito. Agora, depois de ter sido confrontado pela santidade de Deus e reconhecer que pratica algo que vai contra a Palavra de Deus, toma a atitude de confessar, se arrepender e busca reparar o dano provocado, conforme o exemplo de Zaqueu

Entrementes, Zaqueu se levantou e disse ao Senhor: Senhor, resolvo dar aos pobres a metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, restituo quatro vezes mais. (Lucas 19.8)

O momento de confissão no culto deve ser um meio de nos conduzir diante de Deus com temor e tremor para fazer da oração do Salmista uma verdade não só pessoal, mas também de nossa igreja:

Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno. (Salmo 139.23–24)

Se a sua igreja não possuí um momento de confissão de pecados, que tal repensar um pouco o culto à luz da necessidade de confessarmos o pecado e perdoarmos e sermos perdoados. Não apaguemos de nossos cultos um momento precioso que promove a comunhão com Deus e com os irmãos de fé.

 

Reverendo Giovanni Campagnuci Alecrim de Araújo
Secretário de Música e Liturgia de IPIB
Pastor da IPI de Araraquara, SP


Texto escrito para coluna mensal da Secretaria de Música e Liturgia da IPIB em O Estandarte.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s