Sermões

A fé

Sermão pertencente à série Salvação, pregado em 26 de junho de 2016 na Igreja Presbiteriana Independente de Araraquara, SP


2016-06-serie-mensagens

Vivemos num tempo onde muito se fala de igreja, fé e religião. Fala-se de tudo: desde como obter sucesso em sua vida financeira a resolver seus problemas emocionais. No entanto, muito pouco se fala da centralidade da mensagem do evangelho, a salvação em Cristo Jesus. Durante quatro encontros abordaremos a salvação mostrando a necessidade da consciência da queda, o pacto de salvação em Cristo Jesus, a pessoa de Jesus como mediador e a importância da fé para salvação. Quero convidar você a se juntar a nós nestes encontros e juntos aprendermos mais sobre a salvação em Cristo Jesus. Esta série de mensagens é baseada na Confissão de Fé de Westminster, capítulos 6, 7, 8 e 14 e vamos recorrer a ela constantemente.

Hoje falaremos sobre a fé. Há diversas interpretações para fé. O brasileiro é tido como um povo de fé. As expressões de fé estão por todo o canto e em todas as vertentes das culturas de nossa nação. Diria ser tarefa quase que impossível desassociar fé do povo brasileiro. O cantor popular canta “andar com fé eu vou, com fé não costuma falhar”. De fato, a fé não falha. Mas que fé é essa que não falha? Qualquer fé é boa? Quais os fundamentos e a razão da nossa fé? É o que veremos na mensagem de hoje.

A Confissão de Fé de Westminster trata no Capítulo XIV da fé salvadora. Nele, em três itens, são abordadas as questões concernentes à fé salvadora. Vamos nos debruçar sobre estes itens e compreender melhor a necessidade de reconhecer a importância da fé em nossa vida cristã.

Vejamos o primeiro item, leia comigo:

I. A graça da fé, por meio da qual os eleitos são habilitados a crer para a salvação da sua alma, é obra que o Espírito de Cristo faz no coração deles e é ordinariamente operada pelo ministério da Palavra; por esse ministério, bem como pela administração dos sacramentos e pela oração, ela é aumentada e fortalecida.

É pela fé que nos movemos. Tal verdade é expressa pelo autor de Hebreus:

Nós, porém, não somos dos que retrocedem para a perdição; somos, entretanto, da fé, para a conservação da alma. (Hb 10.39).

Ou seja, a fé nos capacita a seguir, mesmo diante das dificuldades, é ela que nos guia e conduz. Em nosso coração o Espírito Santo realiza a obra da fé, nos capacitando a falar o que precisa ser dito e a ter discernimento do que fazer e falar e nos dá a certeza da salvação. O Espírito santo nos habilita a pregar o evangelho em toda e qualquer circunstância. Aqui, a Confissão de Fé nos chama a atenção para que a participação na pregação e nos Sacramentos. Ou seja, quando pregamos, batizamos e participamos da ceia nossa fé é fortalecida. Você quer mais fé? Você quer que o Senhor lhe aumente a fé? Pregue o Evangelho, conduza as pessoas ao Batismo e Participe da Ceia. Vamos continuar olhando para a Confissão de Fé de Westminster, no item II. Leia comigo:

II. Por essa fé, o cristão, segundo a autoridade do mesmo Deus que fala em sua Palavra, crê ser verdade tudo quanto nela é revelado, e age de conformidade com aquilo que cada passagem contém em particular, prestando obediência aos mandamentos, tremendo às ameaças e abraçando as promessas de Deus para esta vida e para a futura; porém, os principais atos de fé salvadora são: aceitar e receber a Cristo e firmar-se só nele para a justificação, santificação e vida eterna; isso em virtude do pacto da graça.

Cremos na Palavra de Deus não por uma ação apenas racional, mas principalmente pela fé. É a fé, que move nossa vida por inteiro – razão, sentimento e todas as áreas de nossa vida – para compreender e obedecer a Palavra de Deus. Tal obediência passa pela submissão inequívoca a Deus e temor e tremor diante das punições a que a Palavra de Deus fala. Também é a fé que nos faz abraçar as promessas desta vida e da vida futura, nos mantendo firmes diante das adversidades e vivendo a esperança da vida eterna. É a fé que nos conduz a aceitar e receber a Cristo, colocando-o como Senhor de nossas vidas. É a fé que nos firma em Jesus nos garantindo justificação, santificação e vida eterna. Por fim, vamos olhar para a Confissão de Fé de Westminster, no item III. Leia comigo:

III. Essa fé é de diferentes graus: é fraca ou forte, pode ser, muitas vezes e de muitos modos, perturbada e enfraquecida, mas sempre alcança a vitória; atingindo em muitos perfeita segurança em Cristo, que é tanto o Autor como o Consumador da fé.

A nossa fé pode ser forte ou fraca. Jesus chama a atenção, em Mateus 6.30 da pequena fé daqueles que andam ansiosos. Em Mateus 8.10 ele elogia a grande fé de um centurião. A fé é de diferentes graus, portanto, pode e deve ser aumentada, mas também pode ser perturbada e enfraquecida. Se lermos atentamente Efésios 6.16, veremos que Paulo recomenda que embracemos o escudo da fé para apagar os dardos do Maligno, ou seja, a fé apaga os ataques que sofremos para desistirmos de Cristo. Aqui, a Confissão de fé derruba outro mito evangélico atual: não se pode perder a fé, pois ela não é nossa, nos é dada por Cristo e sempre alcança vitória, pois quem nos dá a fé é mais que vencedor! É ele que nos dá a segurança de que não desfaleceremos na fé. A fé nos coloca em nosso lugar de servos e quem assume o controle de nossas vidas é Jesus:

logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim. (Gl 2.20).

Conclusão

Concluindo. A fé é fruto da ação do Espírito Santo no coração do crente e é ordenada pela Palavra e pela ordenação dos sacramentos ela é aumentada e fortalecida. É pela fé que cremos na Palavra como sendo de Deus e vivemos obedientemente à sua vontade, descrita na Palavra. Pela fé agimos de acordo com a Palavra, abraçamos as promessas nela contida e vivemos confiando na Palavra de Deus. A fé não é fruto da nossa vontade, ela nos é dada por Deus. Ela é de graus diferentes, fraca ou forte, e pode ser perturbada e enfraquecida, mas sempre alcança a vitória, basta lembrarmos Efésios 6.16, onde o escudo da fé apaga os dardos do maligno.

A fé começa em Cristo, ele é o Autor e o Consumador da nossa fé. Nele começa e nele vive a nossa fé. Os discípulos pediram, em Lucas 17.5, que a fé lhe fosse aumentada. Jesus é quem dá a fé e os discípulos sabiam disso. É pela fé que temos certeza de que nossa vida segue a vontade de Deus e que nosso futuro está nas mãos dele. A fé nos garante a certeza da salvação. A fé é o meio pelo qual Jesus nos chama para perto dele. É pela fé que somos atraídos para a graça de Deus e vivemos sua vontade. Desenvolva sua fé, pedindo a Jesus que lhe mostre como viver a vontade do Pai e como expressar a fé que ele lhe dá.

Assertion of Liberty of Conscience by the Independents of the Westminster Assembly of Divines, 1644John Rogers Herbert (1810–1890)Parliamentary Art Collection

Antes de encerrarmos, é oportuno falar a respeito da Confissão de Fé de Westminster. Reunida nas salas da Abadia de Westminster, na cidade de Londres, entre julho de 1643 e fevereiro de 1649, a Assembleia reuniu os mais notórios teólogos do período para a formulação de uma Confissão de Fé Reformada, formando uma nova base doutrinária, forma de culto e governo eclesiástico para servir a Igreja. Entre os integrantes, puritanos ingleses e presbiterianos escoceses. Dela derivam o Catecismo maior e Catecismo menor. À parte todo o contexto histórico-político, visto que a Assembleia foi convocada quando o Parlamento Inglês passou a ter maioria Puritana e minoria episcopal, as fundamentações teológicas e bíblicas da Confissão sintetizam aquilo que é a essência da Fé Reformada. Não à toa ela é adotada pela maioria das Igrejas Reformadas no mundo. Nos últimos anos, alguns teólogos vêm colocando em pauta a necessidade da atualização e formulação de novos itens para a Confissão de Fé. Enquanto as Igrejas Reformadas não chegam a um consenso quanto a essa questão, o que temos em mão é um precioso documento para o estudo e compreensão da fé em Cristo Jesus que nos salva e nos torna seu povo. Você tem acesso a ela na internet, na Bíblia de Estudo de Genebra 2ª Edição você encontra ela e outras confissões reformadas e há também livros impressos com comentários a ela. Recomendo você ler e estudar, conferindo as passagens bíblicas e aprendendo mais sobre a fé que nós professamos.

Reverendo Giovanni Alecrim
Pastor da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s