Artigos

Nas salas da Páscoa

Quero convidar você a visitar quatro ambientes que se destacam na história da morte e ressurreição de Jesus

Fonte: christianitymy.com

A sala da comunhão

O Evangelho de João, no capítulo 13, apresenta o momento em que Jesus lava os pés dos discípulos no instante antes da última ceia. Reunidos naquela sala, Jesus fala da necessidade dos discípulos se reconhecerem como servos e que a comunhão entre eles, por meio do pão e do cálice, só terá sentido se eles servirem uns aos outros. Lavar os pés era um ato de higiene que era feito pelos servos nos pés de seus senhores. Jesus se apropria deste ato para mostrar que o servir não vem da posição social, mas sim do coração posto em Deus. A comunhão é possível quando servirmos uns aos outros.

A sala da morte

Poderia aqui recorrer ao Gólgota, mas quero me deter a um ambiente que é descrito por todos os evangelistas de forma subjetiva: “…e, após haver açoitado a Jesus, entregou-o para ser crucificado”. A sala dos açoites. A sala onde vemos o sofrimento de Jesus. Os romanos tinham um chicote próprio para açoites, que era sempre executado de maneira cruel. Um chicote multirretorcido tendo na extremidade pontas de ossos afiadas. A força e a impiedade com que eram açoitados os condenados os levavam a morte ainda aqui, antes da crucificação. Jesus passou por esse sofrimento e foi levado para a cruz. É preciso ver o sofrimento de Jesus para compreender que nosso pecado não foi perdoado de forma barata, mas a preço de sangue.

A sala da ressurreição

É domingo, de manhã, bem cedo, duas mulheres chegam ao túmulo onde havia sido posto Jesus. Ele não está ali. Ressuscitou! Diante do túmulo vazio, não resta outra alternativa a não ser correr e proclamar. Qual tem sido a sua reação diante da ressurreição de Jesus? O pastor e teólogo escocês Hugh Ross Mackintosh afirmou certa vez que “Cada sermão a ser pregado deve sempre ser um sermão pascal”. Quero me apropriar de suas palavras para dizer que nosso testemunho deve sempre ser o testemunho pascal, da vitória da vida sobre a morte, do túmulo vazio, da proclamação sem demora.

A sala da nova vida

A vitória da vida sobre a morte nos põe diante da nova vida, a vida que só é possível pelo sangue de Jesus. A imagem aqui é a sala trancada onde os discípulos se encontram e Jesus aparece e se põe no meio deles e diz “Paz seja convosco. Assim como Pai me enviou, eu também vos envio”. A paz de Deus está conosco, não devemos temer a missão de viver anunciando o evangelho. Diante de uma sociedade caótica e imersa em corrupção e desesperança, olhemos para aquela sala, trancada, e guardemos as palavras de Jesus. Ele nos chama para nova vida, para cumprirmos a missão de ser e fazer discípulos.

Nos quatros exemplos citados acima, nas quatro salas da páscoa, estão momentos preciosos e dolorosos da vida do Mestre. Meditemos e aprendamos com eles para que a nossa vida seja o reflexo da vida com Cristo. Somos enviados a proclamar. Proclamar é servir, sabendo que enfrentaremos dificuldades, mas que a vitória da vida sobre a morte é o que nos move, é o nosso chamado, é a nossa vida. Nas salas da páscoa aprendemos que Jesus serviu, sofreu, venceu a morte e nos oferece a nova vida. Vivamos cumprindo nosso chamado de anunciar que a morte e o sofrimento tem seu fim na cruz e que nossa vida está nas mãos do Senhor.

Reverendo Giovanni Alecrim
Pastor da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s