Artigos

Segredos para o líder

Um líder precisa estar ciente de sua vida, suas prioridades e sua missão. Neste artigo, pretendo despertar reflexões em quatro áreas da vida do líder que podem moldar este líder e também nos levar a refletir sobre nossa missão à frente de um grupo.

A primeira reflexão que queremos despertar é a respeito da pessoa do líder. Num primeiro momento, o líder precisa avaliar sua vida, conhecer seus segredos e saber quais destes segredos podem levá-lo a ser um líder melhor e quais segredos precisam ser tratados para que não venham a interferir em sua vida. Avaliando sua vida ele poderá avaliar sua relação com sua família. Até que ponto sua atuação como líder prejudica e interfere na vida familiar, até que ponto contribui. Um bom método de avaliação é perguntar: “se os membros da sua família tivessem que fazer uma avaliação a seu respeito como líder, o que eles diriam?” Estes questionamentos, no entanto, não devem produzir apenas reflexão, mas também atitudes. O líder precisa compreender suas relações e assim procurar alinhar estas relações com seus sonhos pessoais e sonhos como líder. Os combustíveis para que estes sonhos se concretizem serão a avaliação constante de sua vida pessoal e familiar e a busca por viver acima da mediocridade, fazendo todo o possível para crescer e se desenvolver, fazendo seus liderados crescerem e se desenvolverem.

A segunda questão que queremos despertar diz respeito ao caráter do líder. Ao avaliar sua vida, o líder precisa ter em mente que ele precisa avaliar o seu caráter. O crescimento de um líder passa pela busca de um caráter desenvolvido e firmado em valores saudáveis. É preciso visão daquilo que se almeja como líder de um grupo, é preciso coragem e ousadia para tomar decisões difíceis e confrontar o erro e, somente líderes com caráter provados por situações que exijam decisões difíceis e confronto com erros poderão desenvolver um trabalho saudável e produtivo. Por esta razão, a moralidade do líder não pode ter segredo. Seus valores morais devem ser claros para que crie um ambiente de segurança entre os liderados. Uma questão para pensar, quando falamos de moralidade, é se “você passaria num telão duas horas de sua vida, sem cortes, como exemplo aos seus liderados? O que eles descobririam? Como você explicaria os erros e desvios da sua própria vida?”

A terceira reflexão que queremos despertar é a respeito das influências do líder. O quanto ele é influenciado e o quanto ele influencia. Líderes tendem a se isolar, tendem a achar que não precisam de orientações. Por ser uma pessoa de destaque, recebe críticas e elogios de pessoas que o admiram e por isso não consegue distinguir o que é fato e o que é fantasioso dessas críticas e elogios. O líder precisa ter alguém que não se impressiona com ele e que seja o seu mentor de verdade. Esta pessoa vai influenciar as decisões, avanços e recuos que este líder fará. Da mesma forma, o líder precisa ter consciência que ele é uma influência na vida de seus liderados. O que não pode ser confundido é que a influência não é fruto do cargo que o líder ocupa e sim pela autoridade que sua vida transmite para as outras pessoas. Por fim, esta influência produzirá frutos, que devem ser alimentados e cultivados para que um dia venha a assumir a liderança. A diferença básica é que o líder precisa fazer discípulos e não sucessores. Um discípulo é cunhado com tempo, o sucessor é feito, muitas vezes, às pressas. Para fazer discípulos você precisa envolver os seus colaboradores nos sonhos e visões que você tem. Elas precisam ter claros os motivos pelos quais o líder está à frente do grupo e reconhecer no líder a pessoa que fornece condições para o crescimento do grupo.

A quarta e última reflexão que queremos despertar diz respeito ao dia a dia do líder. Para o desenvolvimento de um projeto de maneira saudável, o líder precisa aprender a administrar o seu tempo. neste processo de administração do tempo, o líder precisa aprender a trabalhar com folga. Isto implica em não se submeter a limites extremos e sim ter consciência do seu tempo e do tempo de seu projeto. Por fim, o líder precisa aprender a gerar seus recursos. O maior incômodo para um líder não deve ser a falta de recursos financeiros e sim a falta de projeto e visão. No dia que a falta de dinheiro o derrotar como líder, deixe de ser líder.

Concluindo, o líder precisa avaliar sua vida e sua condição de líder. Comprometer-se consigo, com sua família, com seus sonhos e com seus liderados. Assumir para si valores e desenvolver um caráter que o levará a atingir suas metas de maneira saudável.

Que Deus nos abençoe.
Reverendo Giovanni Alecrim
Pastor da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil


Este artigo é uma reação e reflexão ao seminário de mesmo nome apresentado pelo Pastor Josué Campanhã* no 36º Encontro de Pastores e Líderes da SEPAL, em Águas de Lindóia,SP, dia 7 de maio de 2009. *Pastor Josué Campanhã: Diretor da SEPAL e pastor Batista na Igreja Batista do Morumbi, SP. Formado em Administração de Empresas.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s