Um chamado singular: santidade

Santidade é o que torna possível a vida (Pr. Ziel Machado)

O livro do profeta Neemias apresenta a reconstrução de Jerusalém, sua muralha e seu templo. Mas apresenta também, em seus capítulos finais, a reconstrução da identidade religiosa do povo de Deus. Vivemos no Brasil hoje uma crise de identidade das Igrejas, a saber, elas não se reconhecem como povo de Deus. Igrejas competem entre si e faz do cidadão brasileiro um objeto de disputa.

Neste contexto de mercado, a Igreja precisa voltar a se reconhecer como povo de Deus. Para isto, a Igreja precisa seguir o exemplo dado no livro do profeta Neemias e reencontrar-se com a lei de Deus. É uma tarefa árdua conduzir o povo ao encontro desta lei. Enquanto as igrejas se preocupam em construir templos suntuosos, equipar seus templos com a mais alta tecnologia, construir a identidade do povo é esquecer-se dos tijolos e passarmos a olhar para as pessoas. Não é mais o templo físico que tem que ser reerguido, é o corpo de Cristo, a Igreja de Deus, o povo precisa se reencontrar com Deus.

Nesta história da reconstrução da identidade do povo de Deus e seu reencontro com a lei, Esdras assume a responsabilidade de estudar, praticar e ensinar a lei de Deus (Ed. 7.10). Um compromisso pessoal que envolve sua vida e seu ministério. Conhecer a lei, viver a lei e ensinar a lei. Pastores e pastoras precisam assumir para si este mesmo compromisso de conhecer a lei de Deus, vivê-la e ensiná-la ao povo.

Há, na igreja brasileira, uma crise de interpretação bíblica. Não se pode confundir o valor reformado de livre acesso às escrituras com livre interpretação, são princípios diferentes. Temos acesso às escrituras, mas isto não faz de nós detentores da verdade nem da interpretação exata delas, pois quando a lemos, o Espírito nos fala de maneiras diferentes. Neste aspecto, a teologia brasileira está carente de um princípio fundamental de sua formação: a oração. Lutero, Calvino, Knox foram homens de piedosa vida de oração. Não há, em nenhum dos reformadores, um exemplo de teólogo sem uma vida de oração. A teologia deve nos colocar de joelhos, ou seja, nos fazer adorar e buscar a Deus em oração, se ela não nos conduzir a uma vida que se rende a Deus, é uma teologia vazia.

Santidade, portanto, é apontar para a vida, é buscar conhecer, viver e ensinar a vontade de Deus, é buscar a teologia e o conhecimento que nos levam aos pés de Deus.

Que Deus nos abençoe.
Reverendo Giovanni Alecrim
Pastor da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil


Este artigo é uma reação e reflexão à exposição de mesmo nome apresentado em plenária pelo Pr. Ziel Machado* no 36º Encontro de Pastores e Líderes da SEPAL, em Águas de Lindóia,SP, dia 5 de maio de 2009. *Pastor Ziel Machado: Historiador e pastor da Igreja Metodista Livre. Professor da Faculdade de Teologia Metodista Livre.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.